JORGE DE LIMA (1895-1953)

Repousa ali, perfeita e casta como se estivesse dormindo,
geometricamente envolta em seu manto talar.
E agora que o crepúsculo baixou, vêem-se bem suas asas quietas,
duas a duas dobradas como as folhas do Antigo e do Novo Testamento.
Entre os dedos já há luz; e levitações quase imperceptíveis
têm suspenso no ar um fio invisível preso à sua fronte e perdido no espaço.
Mas de súbito, que bramido de mar começou a brotar de sua fronte livida!
E que vôos vêm fazer ninhos em seus ouvidos e em seus lábios!
Que pensamentos repousados principiam a fluir lentamente nas pálpebras
e tremeluzem um instante sobre o cristal do espelho!
Uma hora depois alguns signos foram vistos
fugindo de seus pés: era a sombra de seus passos que se mudava em pólen!
Seus pés agora pulam mares, ilhas e abismos gelados,
indiferentes aos espíritos das trevas que bufam como cavalos asfixiados,
indiferentes a algumas caras de assombro refletidas sobre as neves eternas.
Notemos agora entre a prece que a circunda
e as mãos totalmente iluminadas, que os braços estão ausentes ou ocultos.
A distância entre as tranças mortuárias
e seu berço primitivo volve a começar desde ontem.
Mas, como o aspecto do ataúde muda de momento a momento,
e o instantâneo é impossível com estes olhos nublados de lágrimas
e com o rapto parcial umas três horas depois,
a posição que ela devia tomar entre Orion e Andrômeda
trouxe-me há séculos fragmentos de sua ausência inquieta:
primeiro a paz que me foi devolvida,
e depois, a luz que Deus me deu para vê-la dormir sem fundir-se em matéria.
Os seus olhos se diluíram numa ou noutra visão de algum santo poeta,
e este desejo de fraternidade que nos une, ó companheiros,
é o sopro de seus acenos que ainda paira na terra.
Tudo se levita e se transforma nesta jovem defunta,
ou bela adormecida, - ondina celeste, medusa de astros,
ou simplesmente, nesta fome de Eternidade.

Jorge Mateus de Lima foi um político, médico, poeta, romancista, biógrafo, ensaísta, tradutor e pintor brasileiro. Inicialmente autor de versos alexandrinos, posteriormente transformou-se em um modernista.

Comentários