BOCCACCIO (1313-1375)

— Amorosas mulheres: — para minha desventura, depois que eu acabei conhecendo o bem, através do mal, sempre me vi sujeito ao Amor, por virtude da beleza de alguma de vocês; de nada me valeu o ser humilde, nem o ser obediente, nem o ser fiel; naquilo que, pela minha experiência, se ficou sabendo, e de acordo com todos os seus costumes, sempre aconteceu que, primeiro, fui abandonado por outro, e, depois, nunca deixei de ir de mal a pior. Penso que é por essa forma que irei indo, daqui até à minha morte. Nestas condições, agradar-me-á que, amanhã, não se converse a não ser sobre aquilo que se harmonize com os meus episódios e com o meu estado de alma; por outras palavras, novelaremos em torno daqueles cujos amores tiveram um fiz infeliz uma vez que eu, ao longo do tempo, não espero mais do que um fim infelicíssimo; não foi por nada que o nome pelo qual vocês me chamam me foi imposto, por alguém que soube muito bem o que queria significar.

O DECAMERÃO
Terceira Jornada: Neifile
Despedida

Comentários