FLAUBERT (1821-1880)

No fundo da alma, entretanto, ela esperava um acontecimento. Como os marujos em perigo, ela passeava sobre a solidão de sua vida os olhos desesperados, procurando ao longe alguma vela branca nas brumas do horizonte. Não sabia qual seria esse acaso, o vento que o empurraria até ela, para que plaga a levaria, se era chalupa ou navio, com três conveses, carregado de angústias ou pleno de felicidades até as aberturas dos canhões. Mas, a cada manhã, ao despertar, esperava-o para aquele dia, e escutava todos os ruídos, levantava-se em sobressalto, ficava atônita por ele não vir; depois, ao pôr do sol, sempre mais triste, desejava estar no dia seguinte.

MADAME BOVARY



Gustave Flaubert foi um escritor francês. Prosador importante, Flaubert marcou a literatura francesa pela profundidade de suas análises psicológicas, seu senso de realidade, sua lucidez sobre o comportamento social, e pela força de seu estilo em grandes romances, tais como Madame Bovary (1857), A Educação Sentimental (1869), Salambô (1862) e contos, tal como Trois contes (1877).

Comentários