MIL E UMA NOITES

Como é belo o perdão da parte do forte, como é belo, sobretudo, concedido a um ser sem defesa!…


E tu, eu te conjuro, pela amizade inviolável que há entre nós, não mate nunca o inocente por causa do culpado.


Deixa que o destino se cumpra e não cuides de remediar senão os erros dos juízes terrenos.


Diante de cada acontecimento, não tenhas nunca alegria nem aflição, pois os acontecimentos não são eternos.


Temos cumprido o nosso destino e seguido ao pé da letra as linhas que nos foram traçadas pela sorte; aquele para quem uma linha tiver sido traçada pela sorte; não poderá senão percorrê-la.

Comentários