BOCCACCIO (1313-1375)

— Linda alma de minha alma: não se admire, porquanto a santidade não se faz menor em consequência disso; a santidade reside na alma; o que lhe estou pedindo é pecado do corpo. Seja, porém, como for, o certo é que a sua grande beleza teve tamanha força, que o Amor me obriga a proceder como estou procedendo. Digo-lhe, de resto, que a senhora pode, mais do que qualquer outra mulher, gloriar-se de sua beleza, uma vez que a sua beleza agrada aos santos, habituados a contemplar as belezas do céu. Além disso, embora eu seja abade, nem por isso deixo de ser homem como os outros; como vê, ainda não sou velho. Não deve ser-lhe muito difícil comprazer-me; ao contrário: a senhora até o deve desejar, visto que, enquanto Ferondo estiver no Purgatório, eu lhe proporcionarei, fazendo-lhe companhia durante as noites, aquele consolo que ele deveria proporcionar-lhe. Disto, ninguém jamais se dará conta, pois todos pensam, de mim, aquilo que a senhora pouco antes pensava. Não recuse a graça que Deus agora lhe manda, pois muitas são as mulheres que desejam, e que não tem, o que senhora poderá ter, e terá, se for bastante esclarecida para aceitar o meu conselho. Além disto, possuo lindas e preciosas joias, que não desejo que pertençam a outra pessoa que não seja a senhora. Faça, pois, doce esperança minha, por mim, o que eu pela senhora farei de muito bom grado.

O DECAMERÃO
Terceira Jornada: Neifile
Oitava Novela: Laurinha

Comentários