DICKENS (1812-1870)

Como um frêmito que ressoou como se todo o alento da França assumisse a forma da execrada palavra, o mar humano ergueu-se, onda por onda, profundeza por profundeza, e inundou a cidade até aquele ponto. Sinos de alarme repicando, tambores rufando, o mar enfurecido estonteando em sua nova praia… o ataque teve inicio.

Fossos profundos, pontes levadiças duplas, muralhas maciças de pedra, oito grande torres, canhões, mosquetes, fogo e fumaça. Através do fogo e da fumaça, no fogo e na fumaça, pois o mar arremessou-o para um canhão, e, naquele instante, ele se tornou um canhoneiro, Defarge da taberna lutava como um soldado intrépido já havia duas ferozes horas.
Fossos profundos, pontes levadiças simples, muralhas maciças de pedra, oito grandes torres, canhões, mosquetes, fogo e fumaça. Uma ponte caiu!

UM CONTO DE DUAS CIDADES 
Segunda Parte. O Fio Dourado. 
Capítulo XXI. Passos Ecoando 

Comentários