BOCCACCIO (1313-1375)

— Dignas mulheres: quanto mais se fala das vicissitudes da Fortuna, tanto mais resta para delas se falar, desde que se queira examinar bem o que acontece. Disto, porém, ninguém deve maravilhar-se, se pensa, discretamente, que todas as coisas se encontram nas mãos dela. Nós dizemos que tais coisas são nossas. Na verdade, entretanto, elas são manipuladas, incessantemente, sem qualquer ordem lógica por nós conhecida, e sim de acordo com um oculto arbítrio da Fortuna; é ela que transforma umas coisas em outras, reconvertendo estas outras naquilo que foram antes. Embora esta realidade haja sido demonstrada em algumas novelas ditas anteriormente, e desde que agrade à nossa Rainha que sobre isto se converse, eu acrescentarei, às novelas já contadas — e não sem utilidade para os ouvintes — uma novela minha. O contexto desta novela será, por certo, bem apreciado.

O DECAMERÃO 
Segunda Jornada: Filomena. 
Terceira Novela: Pampinéia

Comentários