FLAUBERT (1821-1880)

No dia seguinte, em compensação, ele parecia um outro homem. Tomar-se-ia mais ele pela virgem da véspera, enquanto a recém-casada não deixava transparecer nada por que pudesse descobrir algo. Os mais maliciosos não sabiam o que responder e a consideravam, quando passava por perto, com tensões de espírito desmedidas. Mas Charles não dissimulava nada. Chamava-a de minha mulher, tratava-a por você, perguntava dela a cada pessoa, procurava-a por toda parte, e muitas vezes puxava-a para os pátios, onde era visto de longe, entre as árvores, a passar o braço em sua cintura e continuava a caminhar meio inclinado sobre ela, roçando com a cabeça a borda do seu corpete.

MADAME BOVARY

Gustave Flaubert foi um escritor francês. Prosador importante, Flaubert marcou a literatura francesa pela profundidade de suas análises psicológicas, seu senso de realidade, sua lucidez sobre o comportamento social, e pela força de seu estilo em grandes romances, tais como Madame Bovary (1857), A Educação Sentimental (1869), Salambô (1862) e contos, tal como Trois contes (1877).

Comentários