FLAUBERT (1821-1880)

Emma subiu para os quartos. O primeiro não estava mobiliado; mas o segundo, que era o quarto do casal, tinha uma cama de acaju numa alcova de pano vermelho. Uma caixa de conchas adornava a cômoda; e, sobre a escrivaninha, perto da janela, havia, em uma garrafa, um buquê de flores de laranjeira, envolto em fitas de cetim branco. Era um buquê de noiva, o buquê da outra! Ela olhou para ele. Charles notou. Pegou-o e foi levá-lo para o sótão enquanto, sentada na poltrona (arrumavam os seus pertences em torno dela), Emma pensava em seu buquê de casamento, que estava embalado numa caixa, e se perguntava, imaginando, o que se faria com ele, se porventura ela viesse a falecer.

MADAME BOVARY

Gustave Flaubert foi um escritor francês. Prosador importante, Flaubert marcou a literatura francesa pela profundidade de suas análises psicológicas, seu senso de realidade, sua lucidez sobre o comportamento social, e pela força de seu estilo em grandes romances, tais como Madame Bovary (1857), A Educação Sentimental (1869), Salambô (1862) e contos, tal como Trois contes (1877).

Comentários