MIL E UMA NOITES

Os meus sofrimentos! Eu não pude mantê-los em segredo, e o meu mal de amor foi revelado! E agora mudou-se o sono dos meus olhos em insônia noturna!


Oh, o Amor! Chamei-o e ele veio a mim, mas que torturas me trouxe, também, ao pensamento!


Piedade! Deixa-me gozar o repouso! E, principalmente, não vás visitar Aquela que é toda a minha alma, para fazê-la sofrer! Pois Ela é a minha consolação nas penas e nos perigos!


É esbelto e amável, esse mancebo! Uns cabelos de treva, tão negros, que trazem a noite! Uma fronte de claridade, tão branca, que ilumina a noite! Jamais os olhos dos homens foram a festa melhor que o espetáculo das suas graças. Tu o reconhecerás entre todos os rapazes pela pinta, única, que ele tem na rosa de sua face, logo abaixo de um dos olhos!

Comentários