DICKENS (1812-1870)

Os enforcamentos tinham lugar em Tyburn naqueles dias, de forma que a rua do lado de fora de Newgate ainda não obtivera a infame notoriedade de que passou a gozar desde que se tornou palco das execuções. Contudo, o cárcere era um local vil, no qual se praticavam toda sorte de deboches e vilanias e onde se cultivavam moléstias terríveis, que vinham para a corte junto com os prisioneiros e que, às vezes, se espalhavam do banco dos réus para o Lorde Chefe de Justiça em pessoa, arrancando-o do estrado para o túmulo. Mais de uma vez aconteceu de o Juiz, em sua toga negra, decretar a própria morte enquanto condenava o réu, não raro morrendo antes mesmo do condenado. De resto, Old Bailey tinha a fama de uma espécie de jardim da morte, de onde pilares viajantes saiam continuamente, em carroças e coches, rumo ao outro mundo, atravessado cerca de cinco quilômetros entre rua e estrada, envergonhando alguns poucos bons cidadãos, se é que os havia desabituados a esse espetáculo (tão poderoso é o hábito, e tão desejável que seja no inicio de um bom hábito). Tinha forma, também, pelo pelourinho,uma sábia e antiga instituição, que infligia um castigo cuja extensão não se podia prever. Também pelo poste onde se prendiam pessoas para açoitá-las, outra antiga e querida instituição, que inspirava sentimentos tão enternecedores e humanos àqueles que a viam em ação. Também por amplas transações com dinheiro sangrento, outra amostra de sabedoria ancestral, conduzindo sistematicamente aos mais terríveis crimes mercenários já cometidos sob o céu. Resumindo, Old Bailey, naquela época, era a ilustração perfeita do preceito de que “Tudo o que é, é correto”, um aforismo que seria tão conclusivo quanto satisfatório para o indolente, não fosse a incômoda conseqüência de que nada do que sempre foi, foi errado.

Abrindo caminho pela multidão intacta, que se acotovelava ao longo de todo aquele horrível teatro, com a habilidade de homem acostumado a fazer sua trilha de maneira silenciosa, o mensageiro encontrou a porta indicada e estendeu o bilhete através de uma abertura. As pessoas tinham de pagar para assistir ao espetáculo em Old Bailey, do mesmo modo como pagavam para assistir a espetáculos em Bedlam, embora o povo não os apreciasse tanto quanto o primeiro. Portanto, todas as portas de Old Bailey era bem guardadas, com exceção, naturalmente, das portas sociais por onde entravam os criminosos. Estas estavam sempre escancaradas.

UM CONTO DE DUAS CIDADES 
Segunda Parte. O Fio Dourado. 
Capítulo II. Uma Visão

Comentários