FLAUBERT (1821-1880)

Adquiriu o hábito de ir ao cabaré, com a paixão dos dominós. Fechar-se, à noite, num imóvel público imundo, para aí bater sobre mesas de mármore ossinhos de carneiro marcados com pontos pretos, parecia-lhe um ato precioso de liberdade, que lhe levantava a estima em relação a si próprio. Era como a iniciação ao mundo, o acesso a prazeres proibidos; e, ao entrar, colocava a ,ão no puxador da porta com uma alegria quase sensual. Então, muitas coisas comprimidas nele se dilataram; decorou algumas trovas que cantava nas boas-vindas, entusiasmou-se por Béranger, aprendeu a fazer ponche e conheceu enfim o amor.

MADAME BOVARY



Gustave Flaubert foi um escritor francês. Prosador importante, Flaubert marcou a literatura francesa pela profundidade de suas análises psicológicas, seu senso de realidade, sua lucidez sobre o comportamento social, e pela força de seu estilo em grandes romances, tais como Madame Bovary (1857), A Educação Sentimental (1869), Salambô (1862) e contos, tal como Trois contes (1877).

Comentários