MANUEL BANDEIRA (1886-1968)

Só o passado verdadeiramente nos pertence.
O presente... O presente não existe:
Le moment où je parte est déjà loin de moi.
O futuro diz o povo que a Deus pertence.
A Deus... Ora, adeus!

Manuel Carneiro de Sousa Bandeira Filho foi um poeta, crítico literário e de arte, professor de literatura e tradutor brasileiro.




Comentários