SHAKESPEARE (1564-1616)

Adeus, um longo adeus a toda a minha
grandeza. Esse é o destino de todo homem:
hoje lhe nascem as folhinhas tenras
da esperança: amanhã ele floresce,
carregado ficando de honrarias.
Mas no terceiro dia vem a geada,
uma geada mortal, e no momento
preciso em que ele — quão simplório e calmo! —
crê que sua grandeza esta madura,
ela a raiz lhe morde, caindo ele
tal como agora eu caio. Aventurei-me,
como crianças que nadam como bexigas,
durante estios vários num oceano
de glórias, mas profundo em demasia.
Minha vaidade, inflando-se ao extremo,
arrebentou sob mim, ora deixando-me
cansado e envelhecido no serviço,
ao sabor de uma rude correnteza
que para sempre acabará tragando-me.
Glórias vãs deste mundo, pompas fúteis,
tenho-vos ódio!
O coração se me abre
a novos sentimentos.
Triste a sorte
de quem depende do favor dos príncipes!
Entre o sorriso a que ele aspira tanto,
o aspecto prazenteiro do monarca,
e sua ruína, há mais angústia e medo
do que na guerra ocorre ou nas mulheres.
E quando a queda vem, quem cai é Lúcifer,
privado de esperança.

William Shakespeare foi um poeta e dramaturgo inglês, tido como o maior escritor do idioma inglês e o mais influente dramaturgo do mundo. É chamado frequentemente de poeta nacional da Inglaterra e de "Bardo do Avon".

Comentários