PROUST (1871-1922)

Em qualquer momento em que a consideramos, a nossa alma total tem apenas um valor quase fictício, apesar do numeroso balanço de suas riquezas, pois ora umas, ora outras, são indisponíveis, quer se trate de riquezas efetivas como de riquezas da imaginação... Pois as perturbações da memória estão ligadas às intermitências do coração. É sem dúvida a existência do nosso corpo, semelhante para nós a um vaso em que estaria encerrada a nossa espiritualidade, que nos induz a supor que todos os nossos bens interiores, as alegrias passadas, todas as nossas dores, estão perpetuamente em nossa possessão.

Valentin Louis Georges Eugène Marcel Proust foi um escritor francês, mais conhecido pela sua obra Em busca do Tempo Perdido, que foi publicada em sete partes entre 1913 e 1927.


Comentários

Postar um comentário