O ATO DE SILENCIAR

Todo ser humano 
não é verdadeiro, 
todo segredo  
representa um fruto
guardado entre pedras. 

Apresenta a face 
escondida do amor 
e vem me matar 
com o doce 
veneno da bondade 

Não me agrada  
ser voluntário  
da sua fome 
pela adversidade 
que parte do princípio.

Não me abandona, 
não sou forçado 
a grudar na terra 
que me deu uma vida 
recheada de defeitos.

Não sou desinteressante 
que não possa dizer:
para viver comigo
prenda a sua língua  
e siga o seu amado 

Que grande disposição 
em seguir a política
inútil e perversa dos outros 
cujas mentiras saem dos livros.
Você, alguém com virtudes.

JANAINA RAMOS
10/02/2017



Comentários