FINALMENTE BALZAC

Mesmo com sono irei falar sobre a obra de Balzac, "A paz conjugal", que terminei de ler na semana passada. Serei breve tanto que a obra é curta e não irei me ater a nomes de personagens e sim no enredo da história.

A obra se trata sobre um baile que tinha sido oferecido em homenagem ao Imperador Napoleão Bonaparte que não tinha comparecido. A trama começa quando dois homens notam a presença de uma desconhecida, pois aparentemente ninguém a conhecia e isso chamou mais atenção dos dois. A história se desenrola para saber da identidade dela até que finalmente é revelada. Ela se trata de uma esposa de um personagem que ignorava a presença da esposa enquanto que cortejava outra mulher que estava comprometida com outro (um dos homens curiosos). A surpresa no final foi justamente na revelação da identidade da mulher desconhecida, que tramou tudo para recuperar de volta o anel que era dela e estava em posse do homem curioso comprometido que sem saber deu o anel para quem realmente pertencia. Melhor explicando, esse anel pertencia a essa mulher desconhecida, seu marido pega às escondidas dela e dá para outra mulher que por sua vez entrega para o homem que deseja se comprometer e casar. 

As impressões da obra não estão tão recentes, infelizmente acabei esquecendo os nomes das personagens, então pouco posso falar a respeito. O que quero chamar a atenção é justamente a submissão da mulher para com o homem na figura dessa esposa que deseja chamar a atenção do esposo e por isso a sua intenção em recuperar o anel que causa estupefação do marido. Confesso que não sei mais o que dizer, eu tinha outras ideias sobre essa relação de submissão mas não me recordo e não pretendo reler tão cedo essa obra pois tem outras a ler.

JANAINA RAMOS

Foto tirada exclusivamente para essa postagem

Comentários