UM POUCO SOBRE MIM

Meu nome é Janaina Karina, tenho 28 anos, sou bibliotecária, blogueira, escritora, poeta, feminista, militante e defensora da não monogamia, bissexual, gênero não-binário. Trabalho pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo na Diretoria de Ensino - Região de Miracatu em projetos da Sala de Leitura de Escolas Estaduais da região, e também, na organização da biblioteca que gerencio. Como blogueira desse blog acabo sendo formadora de opinião escrevendo artigos e textos literários. 

Pretendo posteriormente escrever sobre a minha história sobre o feminismo. Também pretendo escrever sobre as relações não monogâmicas em outro artigo. Em relação a minha identidade de gênero digo que sou vista como mulher conforme mostra a aparência externa e o sexo designado quando nasci. Para facilitar o entendimento não me identifico nem como mulher ou homem, posso até escrever usando os artigos femininos para seguir a norma padrão da nossa língua portuguesa e acabei me acostumando escrevendo assim. Não me sinto feminina, quando criança me chamavam de masculina e não me importava com isso, gosto de sentar com as pernas abertas, não tenho nojo de baratas, não costumo usar maquiagem, no máximo um batom quando lembro de passar nos lábios, quando lembro de me maquiar peço ao meu namorado que é ator de teatro fazer em mim. Em relação as roupas gosto de ter liberdade de escolha no que vestir independente se é feminino ou masculino, sendo assim uso vestidos, calças, regatas cavadas masculinas, shorts, adoro chapéus e boinas, tênis faz parte do meu dia a dia e nem sei andar de salto alto. Comecei a questionar sobre a minha identidade de gênero na infância e adolescência quando fui reprimida pela sociedade patriarcal heteronormativa me obrigando a comportar como uma mocinha submissa. Há dois anos que estou desconstruindo e construindo a minha identidade social de gênero, pesquisando sobre o assunto, lendo e vendo vídeos, e cada vez me identificando assim. Quando tiver mais domínio sobre o assunto irei escrever e dar continuidade a essas questões de gêneros.

Sobre a minha sexualidade, sou bissexual porque me atraio tanto pelos homens quanto pelas mulheres, porém, tenho mais familiaridade com os homens do que as mulheres que tenho menos experiência. Não posso dizer que tenho preferência pelos homens, mas, na hora do flerte são o meu alvo por não saber chegar nas mulheres, sendo assim espero que alguma tenha iniciativa para comigo. Um ponto a destacar é que pessoas bissexuais sentem preconceitos não somente dos heterossexuais mas também dos homossexuais e lésbicas. Não são todos os homens que me atraem assim como não são todas as mulheres que me atraem por uma série de fatores envolvendo atração química e sexual, compatibilidade intelectual, empatia, humildade; o fato de eu namorar com um homem cis não deixo de ser bi pois eu tenho liberdade de escolha em namorar um homem ou mulher. Tem outra coisa, uma pessoa pode ser bissexual e nunca ter nenhuma relação afetiva e sexual com as do mesmo sexo. Penso o seguinte: somos iguais perante a natureza, livres para amar quem quiser e cada um cuidar da própria vida ao invés de preocupar com a alheia. Então, o fato de eu ser do gênero não-binário e bissexual não muda a pessoa que sou já que sempre fui assim nessa desconstrução diária. E vamos viver livres de preconceitos deixar que as pessoas sejam felizes do jeito que são.

JANAINA RAMOS


Comentários