O DEMÔNIO

O anjo mascarado seduz a vitima
com olhar mortífero. O carrasco
silencia ao ouvir a poesia fantasma
do amante que se matou no penhasco.

De dia a donzela chora o desfortúnio
caído pela noite corrupta de ser seduzida.
O prazer extraído da veia pelo sacrifício
de sentir o orgasmo gritar a dor alucinada.
O monstro do gozo vê a miséria
nas trevas da humanidade
e o espirito da inteligência
na pobre sabedoria da eternidade.

Ao final das trevas a máscara
cai e o falso anjo com o sorriso
estrupa a donzela que chora
o triste fim do gozo pavoroso.

JANAINA RAMOS



Comentários