POESIA

CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE


Gastei uma hora pensando um verso
que a pena não quer escrever.
No entanto ele está cá dentro
inquieto, vivo.
Ele está cá dentro
e não quer sair.
Mas a poesia deste momento
inunda minha vida inteira.

Carlos Drummond de Andrade
(31 de outubro de 1902, Itabira, Minas Gerais - 17 de agosto de 1987, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro)
Carlos Drummond de Andrade foi um poeta, contista e cronista brasileiro, considerado por muitos o mais influente poeta brasileiro do século XX. 

Comentários

  1. Isso é muito bom!
    Guardadas as devidas proporções é mais ou menos parecido com isso:

    Falta

    Enquanto ela não vinha
    e o que se tinha eram rabiscos,
    rascunhos e desenhos.
    Eu a procurava
    em lembranças de família,
    naquela paixão,
    “peladas” de fim de semana
    ou em alguma canção da Legião Urbana.
    Não percebia que,
    embora parecesse oculta,
    sempre esteve presente.
    Meses de inacabados poemas.
    Desnuda e instigante poesia.
    Assim como uma conversa,
    às vezes,
    se faz melhor muda.
    A falta de assunto era o tema
    e eu não via.

    Jefferson Lara do Nascimento

    ResponderExcluir

Postar um comentário