CAMÕES (1524-1580)


Era no tempo alegre, quando entrava,
No roubador de Europa a luz febeia,
Quando um e o outro corno lhe aquentava,
E Flora derramava o de Amalteia;
A memória do dia renovava
O pressuroso Sol, que o céu rodeia,
Em que Aquele a quem tudo está sujeito,
O selo pôs a quanto tinha feito,

Quando chegava a frota àquela parte,
Onde o reino Melinde já se via,
De toldos adornada e leda, de arte
Que bem mostra estimar o santo dia;
Treme a bandeira, voa o estandarte;
A cor pupúrea ao longe aparecia;
Soam os atambores e pandeiros;
E assi entravam, ledos e guerreiros.

Luís Vaz de Camões foi um poeta de Portugal, considerado uma das maiores figuras da literatura em língua portuguesa e um dos grandes poetas do Ocidente. Pouco se sabe com certeza sobre a sua vida.

Comentários