FIM E PRINCÍPIO

MURILO MENDES


Espírito pavoroso do século,
Não te dedicava pianos
Nem harmonias de sirenes
Se os demônios não quisessem.
Entretanto chora o mar,
Choram noivas, peixes, mães,
Desde o princípio do mundo
Apitos de máquinas levarão
Desde o polo ao equador
Até o final dos tempos
Lamentações de novilhas,
De cegos, órfãos e plantas.

Murilo Mendes
(13 de maio de 1901, Juiz de Fora, Minas Gerais - 13 de agosto de 1975, Lisboa, Portugal)
Murilo Monteiro Mendes foi um poeta e prosador brasileiro, expoente do surrealismo brasileiro.

Comentários