DECLARAÇÃO DO CRIMINOSO

MURILO MENDES


Matei minha mulher.
Matei.
(O ódio com que a odiava
era maior que o amor com que a amava).
Mas não matei a mãe de meus filhos.
É por isso que o retrato dela está sempre comigo.

Murilo Mendes
(13 de maio de 1901, Juiz de Fora, Minas Gerais - 13 de agosto de 1975, Lisboa, Portugal)
Murilo Monteiro Mendes foi um poeta e prosador brasileiro, expoente do surrealismo brasileiro.

Comentários