MULHER EM TODOS OS TEMPOS

MURILO MENDES



O anjo cresce na sombra.
A sombra também cresceu.
Ele tira o saxofone.
O som também aumentou.
Então acorda a agonia
Que se escondera no escuro,
Cresce a agonia também.
A moça cresce um pouquinho,
Também em compensação
Já é hora de decrescer.
O anjo torna a assoprar.
No avião do sopro vem
A mãe da moça, coitada.
Vestida de rendas brancas,
Com o pai de pencinê;
Vem um quarto vaporoso
Com um berço navegando
E uma criança chorando
No vestidinho de rendas;
Vem o canto de outro anjo
Chamando outros anjos distantes
Que fazem a criança dormir;
Vem a criança crescendo,
Caminhando para a escola
Com o primo pela mão;
Vem a criança menina,
Na mesa da comunhão;
Vem a menina já moça,
Com os seios palpitando
- O primo também cresceu -;
Vem a moça já bem moça,
Namorando no portão;
Vem a moça - é uma mulher -
Caminhando para o altar;
Vem a mulher segurando
Um menino pela mão,
Depois vem ela chorando,
Enterra a mãe no vestido
De rendas pretas, coitada,
Depois enterra o pai dela,
Coitado, sem pencinê;
Vem ela quando adoece
De paixão, já piorou;
Vem ela no mês passado.
Depois na semana passada,
Sem vibração, já sem cor,
Depois no instante recente;
O sopro do anjo vai traz
O instante que está nascendo:
O marido deu um grito,
O filho os braços levanta,
Sopra o anjo com mais força,
A moça não vê mais nada,
Mas Deus a viu, e levou.
No outro mundo já estão
Julgando a moça morena.

Murilo Mendes
(13 de maio de 1901, Juiz de Fora, Minas Gerais - 13 de agosto de 1975, Lisboa, Portugal)
Murilo Monteiro Mendes foi um poeta e prosador brasileiro, expoente do surrealismo brasileiro.

Comentários

  1. Blog belíssimo...
    A beleza entra pela janela principal da alma, encantada, por momento senti as vertigens que ao arrombar-me as retinas levei segundos para continuar na busca que só a beleza em sua essência pura nos envolve e proporciona, o inverso é verdadeiro, por isso um contra ponto...
    Podemos negar ate a vida, esse é um direito constitucional garantido a todos, mas não podemos ignorar que nos musgos em seu estado quase selvagem a água que corre fina entre as colinas é cristalina como se fora filetes de cristal...sobre dois olhos atentos deixo-te o meu prazer, levo daqui o prazer que aos meus olhos empregnastes deslumbrando-me...nada a acrescentar se não e os meus parabéns.

    Céu

    Obs. Este BLOG foi indicado pelo FLASH MOBS

    ResponderExcluir

Postar um comentário