IDÍLIO UNILATERAL

MURILO MENDES



Praia de Botafogo,
acácias e colunas dóricas falsificadas.
O meu namoro no ponto mais complicado da praia
é um pretexto para vir no jornal,
seção de atropelamentos.
Minha namorada já parece até mãe,
os seios dela estão crescendo dia a dia,
que ancas largas batem no meu nariz...
Hoje fui no ônibus com ela pregado na combinação cor-de-rosa,
adivinhando a carne morena
que dia a dia vai mudando de tom.
Ai quando virá o espírito da destruição
acabar com a minha memória
e corromper para sempre
o corpo enxuto da filha do quitandeiro
surgindo, milagre moreno, dentre cenouras e couves.

Ó saxofones do último dia
soprando a música do aniquilamento.

Murilo Mendes
(13 de maio de 1901, Juiz de Fora, Minas Gerais - 13 de agosto de 1975, Lisboa, Portugal)
Murilo Monteiro Mendes foi um poeta e prosador brasileiro, expoente do surrealismo brasileiro.

Comentários