SOLIDÃO

JANAINA RAMOS

(26/06/2014)

A teimosia teima comigo.
A ansiedade não espera acontecer.
Triste ou feliz a todo instante.

O orgulho não me convence
Na idealização dos sonhos
Que se tornam realidade.
O gênio possui o próprio jeito
De não ouvir opiniões alheias
Ao meu respeito e a de outros.

A sensibilidade exige atenção.
A carência de carinho.
O solitário de companhia.

Anos demorados na procura
De um amor que complete
Para viver na eternidade.

Horas infinitas
Na presença do tempo
Que se passa.

Não sou uma porcelana de vidro
Que se espedaça e se espalha
Em pedaços de quebra-cabeça.

A angústia surge com a tristeza
Na vontade de sorrir
Para o desânimo.

Sou poeta e romântica.
Os poetas são românticos
Logo amam e sofrem.

Os poetas amam apaixonadamente,
Escrevem inúmeros versos
Em homenagem ao seu amor.

Lágrimas derramadas
Em papéis manchados de tintas
Na loucura pelo desprezo.

A solidão é amiga,
Companheira da infância
E de todos os tempos.

Comentários