RECORTES LITERÁRIOS: EM BUSCA DO TEMPO PERDIDO

Marcel Proust (1871-1922)
Quem sabe até, caso naquela noite ele encontrasse em outra parte, as outras felicidades, outros desgostos lhe ocorreriam, e que, logo a seguir, lhe parecessem ter sido inevitáveis? Mas o que lhe parecia inevitável era o que havia acontecido, e ele não estava longe de ver algo de providencial no fato de ter decidido ir ao sarau da Sra. de Saint-Euverte, pois seu espírito, desejoso de admirar a riqueza da invenção da vida e incapaz de meditar por muito tempo numa questão difícil, como a de saber o que teria sido melhor, considerava haver entre os desgostos por que passara naquela noite e os prazeres ainda insuspeitados que já desabrochavam - e entre os quais era tão difícil estabelecer o equilíbrio - uma espécie de encadeamento necessário.

PROUST, 2004, p.298
Combray
NO CAMINHO DE SWANN
(Em busca do tempo perdido)

Comentários