RECORTES LITERÁRIOS: EM BUSCA DO TEMPO PERDIDO

Marcel Proust (1871-1922)

É que Swann chegara a uma idade cuja filosofia - favorecida pela da época, e também pela do meio em que tanto vivera, desse grupo da princesa des Laumes, onde se convencionara que alguém é inteligente na medida em que duvida de tudo e onde só se achava o real e o incontestável nos gostos de cada um - já não é a da juventude, e sim uma filosofia positiva, quase médica, de homem que, em vez de exteriorizarem os objetos de suas aspirações, tentam tirar dos anos passados um resíduo fixo de hábitos, de paixões, que possam considerar, neles, como característicos e permanentes, e aos quais, de forma deliberada, hão de querer, primeiro, que o tipo de vida que levam possa satisfazer.

PROUST, 2004, p.224
Um amor de Swann
NO CAMINHO DE SWANN
Em busca do tempo perdido

Comentários