RECORTES LITERÁRIOS: EM BUSCA DO TEMPO PERDIDO

Marcel Proust (1871-1922)

Mas desde que se encontrasse em presença daquele a quem queria enganar, era tomada de uma perturbação, todas as suas ideias lhe fugiam, suas faculdades de invenção e de raciocínio ficavam paralisados, ela não encontrava na cabeça senão o vazio; no entanto, era preciso dizer alguma coisa, e ela achava em susas mãos exatamente aquilo que desejava dissimular e que, sendo verdade ficara ali sozinho. Destacava um pedacinho, desimportante em si mesmo, dizendo consigo que, enfim, era melhor desse jeito visto que era um detalhe verdadeiro que não oferecia os mesmos perigos de um detalhe falso.

PROUST, 2004, p.223
Um amor de Swann
NO CAMINHO DE SWANN
Em busca do tempo perdido

Comentários