RECORTES LITERÁRIOS: EM BUSCA DO TEMPO PERDIDO

Marcel Proust (1871-1922)

Mas nesse estranho período de amor, o individual assume algo de tão profundo que essa curiosidade, que sentia despertar dentre dele em relação às menores ocupações de uma mulher, era a mesma que tivera antgamente pela História. E tudo aquilo de que até então tivera vergonha, espiar por uma janela, quem sabe amanhã talvez sondar habilmente os indiferentes, subornar os criados, escutar às portas, já não lhe parecia, tanto como a decifração de textos, a comparação de testemunhos e a interpretação de monumentos, senão formas de investigação científica de um genuíno valor intelectual e apropriadas à pesquisa da verdade.

Um amor de Swann
NO CAMINHO DE SWANN
Em busca do tempo perdido
PROUST, 2004, p.220

Comentários