RECORTES LITERÁRIOS: EM BUSCA DO TEMPO PERDIDO

Marcel Proust (1871-1922)

Mas de tal modo ele se habituara a achar a vida interessante - de admirar as curiosas descobertas que nela se podem fazer - que, sofrendo a ponto de achar não poder suportar durante muito tempo uma dor assim, dizia consigo: "A vida é verdadeiramente espantosa e reserva boas surpresas; em suma, o vício é algo muito mais difundido do que se crê. Eis uma mulher em quem eu confiava, de aspecto tão simples, tão honesto em todo caso, que, mesmo sendo leviana, parecia bem normal e sã nos seus gostos; diante de uma denúncia inverossímil, interrogo-a e o pouco que ela me confessa revela muito mais do que seria possível supor.

PROUST, 2004, p.287
Um amor de Swann
NO CAMINHO DE SWANN
Em busca do tempo perdido

Comentários