RECORTES LITERÁRIOS: EM BUSCA DO TEMPO PERDIDO

Marcel Proust (1871-1922)
Não podia saber, ao menos por si mesmo, que o fosse, visto que jamais conhecemos senão as paixões dos outros, e o que chegamos a saber sobre as nossas, não é por meio deles que o vamos aprender. Contra nós, elas só agem de modo secundário, pela imaginação que substitui os primeiros móveis por móveis de reserva que sejam mais decentes.

PROUST, 2004, p.114

Combray
NO CAMINHO DE SWANN 
(Em busca do tempo perdido)

Comentários

  1. Bom dia.

    Estou lhe seguindo. Depois voltarei com mais calma, porque gosto de ler devagar, para degustar cada palavra.

    Um grande abraço.

    Feliz Natal.

    ResponderExcluir

Postar um comentário