A TERAPIA DE JANAINA RAMOS - PRIMEIRA SESSÃO: ERROS

Não sei quem você é, nem se existe, eu estou sozinha desse lado da tela, sem ninguém para conversar nesse momento, e, como na minha atual crise financeira não posso pagar um psicológo, esse será o meu espaço para eu expressar os meus sentimentos mais profundos, e você, meu leitor ou minha leitura, será o meu terapeuta...

Nesses últimos dias tenho estado muito reflexiva sobre a minha vida, ainda tenho 22 anos e já cometi inúmeros erros na minha vida. O que seria ou o que teria acontecido se eu tivesse tomado uma decisão totalmente diferente? Eu seria a mesma pessoa que sou agora? Eu sei que os meus erros me fizeram ser quem eu sou agora. 


Eu sou viciada em séries, tanto americanas quanto britânicas, e também, canadenses. Tem uma série canadense em especial que é uma das minhas preferidas, Being Erica, que conta a história da personagem Erica Strange que aos  30 a vida tencionava ao fracasso e que através de uma terapia alternativa ela deu a volta por cima. Várias vezes já me identifiquei-me com ela, eu gostaria de ser um pouco que nem ela, eu a invejo por ter o Dr. Tom como terapeuta, e eu que nem tenho um terapeuta, eu adoraria ter um Dr. Tom como o meu terapeuta. A intenção da série é de vencer os erros do passado com a chance de retornar ao passado e consertá-los, ou até mesmo como inevitável piorá-los mais ainda. Eu quereria ser que nem a Erica, ter uma bela chance de voltar ao passado e vencer os meus erros.

Se eu pudesse eu retornaria a minha consciência, voltaria a ser criança, regrediria no tempo com a memória que tenho agora e viveria tudo novamente, com exceção dos erros, é claro. Certo que até poderia evitar os erros que já cometi só que eu poderia também cometer erros maiores e graves que eu nunca iria me perdoar. Sei que me prendo muito ao passado, que não esqueço dos meus erros, que tenho medo de cometer novos erros futuros; com exceção da vida sentimental que está às mil maravilhas, o resto não vai muito bem.

O que me faz refletir muito acerca dos meus erros é por causa da ausência, do vazio que sinto em não trabalhar, estou fora do mercado de trabalho há um ano e sinto muita falta de uma carreira, de ser alguém profissionalmente, de fazer algo que ocupe a minha mente durante 8 horas por dia e 40 horas semanais. Esse blog tem sido o meu único trabalho, e ainda não alcancei o resultado desejado. Além do blog eu ocupo a minha mente com caminhadas, natação e leituras. E tenho a faculdade também que vou duas vezes por semana.

Quando se está sem trabalhar num longo periodo a pessoa tende a pensar sobre os erros que o deixaram nessa situação, consequentemente acaba despertando outros erros ocultos e adormecidos que nem lembravámos mais. Não posso esquecer dos meus erros justamente porque não esquecer de quem eu sou, do que eu fiz na minha vida, das pessoas que eu conheci que naqueles momentos eram importantes para mim. Erros, e mais erros, todo mundo erra não só uma vez na vida, mas também durante a vida toda, ninguém é perfeito, eu não sou perfeita.

Eu não tenho um terapeuta, nem mesmo o Dr. Tom; não posso voltar ao passado, a minha consciência está presa ao presente e ao futuro, o passado já se foi, assim também como já se foi o momento em que eu escrevi isso tudo... Se eu não tenho um terapeuta quero que você, meu leitor e minha leitora, seja o meu terapeuta. Ocasionalmente irei escrevendo e desabafando um pouco, nem muito dizer sobre os detalhes da minha vida e nem das pessoas do meu convivio social e pessoal, mas não omitirei sobre o que sinto, pois sei que os sentimentos pode serem descritos em palavras e que são universais, já que todos sentem.

Comentários