Acabei de assistir o filme "O Retrato de Dorian Gray", o filme não tirou o encanto causado pelo livro, nem a essência do romance extrapolado através da beleza e juventude. Ó divina e gloriosa juventude, temo envelhecer e ao decorrer dos anos olhar-me no espelho e ver a minha beleza ir embora.
*
Qual o sentido da eternidade sem a essência da beleza? Ó misericordiosa sabedoria, acaso me destruirás com a minha ambição e cegueira pelo poder? Sou mulher, não perco o meu encanto, a minha sensualidade de atrair os homens e cega-los com a minha beleza... perdoem-me, Dorian Gray desperta algo em mim, um sentimento de exuberância e destruição... sou uma fanática pelos livros... talvez os livros sejam a minha perdição e não a minha salvação...
*
Não nego, sou narcisista, cultuo a minha beleza e busco a beleza no próximo... contudo, não olho somente a beleza exterior nas pessoas, todos nós usamos máscaras, quando a máscara cai algo de medonho no ser humano pode despertar e causar repúdia... Eu olho no olho da pessoa e busco a beleza dentro do ser oculto, nas profundezas da alma, pois é na essencia da alma que se encontra a verdadeira beleza.
*
Ó Céus da Juventude! Concedeis para os que temem envelhecer a eterna juventude e o prazer de viver eternamente jovens e belos! Renego o meu futuro se em troca eu puder desfrutar da minha juventude ao desfrute dos livros e de meus amores, livrai-me de preocupações e do tédio de viver para trabalhar para ganhar dinheiro. Rumo à liberdade, à total liberdade da vida.
*
Não importo com o que pensam de mim, nunca me importei, sou doida. Deliro com as minhas palavras. Rumarei agora ao sono, talvez a minha razão não tenha me desistido de mim; por enquanto não me resta escolhas... dormirei, acordarei amanhã cedo para outro dia de escravidão da vontade humana...
*
Do que adianta trabalhar em biblioteca se não posso ler os livros que quero no tempo que quero? Mas, não posso renegar o meu destino, essa foi a minha escolha e agradeço por estar num emprego dos meus sonhos que é trabalhar em biblioteca. Talvez eu me mude para a biblioteca e durante a madrugada possa fazer companhia para os espíritos do Carandiru, de repente eles até gostem de ler...
*
Dorian Gray me impressiona, desperta sentimentos estranhos em mim, me impulsiona a dizer verdades escondidas. Eu prezo pela beleza, tenho a consciência que um dia a juventude me abandonará, antes que isso ocorra terei de construir o meu futuro, conquistar a sabedoria e viver sabiamente... Hoje não posso reclamar das minhas escolhas, estou adorando trabalhar em biblioteca, mesmo que não posso ler todos os livros que desejo, mas talvez eu até construa uma para mim e vá morar eternamente entre os livros...

Comentários