As vozes da minha alma - Janaina Ramos

Hoje passarei a noite acordada a terminar o meu monologo, tomara que eu termine mesmo...

Estou feliz por estar conquistando e lutando pelos meus sonhos... Sinto-me como uma escritora e vejo o momento da minha publicação e do lançamento do livro...

As vezes fico triste, paro penso, posso até conquistar todos os meus sonhos, mas faltará algo, não quero perder a esperança, sou jovem, a minha vida está apenas começando a brilhar, tenho 20 anos, sou sonhadora e romântica, para a minha vida tornar-se completa faltaria encontrar um amor que durasse para a vida toda.

Ah! o amor! Na falta de viver um amor de verdade escrevo versos poéticos e sonho acordada a encontrar um homem, o homem da minha vida...

Eu só namorei um vez, durou 4 meses, amei todos os momentos desse relacionamento, as vezes sinto saudades e fico lembrando os belos momentos em que passei com o meu namorado (não gosto de falar ex), como prova do meu amor que senti por ele estão todos os meus poemas de amor que inspirando nele escrevia versos... O amor que senti por ele continua guardado em meu coração, há vários tipos de amor, e esse amor que sinto por ele é especial, é um amor que não sei descrever...

O namoro acabou, agora encontro o vazio, um vazio profundo, depois do vazio, o desespero e o medo de não encontrar alguem que procuro durante anos... Mesmo que eu encontre um outro amor, não esquecerei daquele que foi meu primeiro namorado e amor...

Eu imaginava que no passado não pensava em casamento, enganei-me, quando criança eu sonhava em namorar entre os 16 e 18 anos, e pretendia casar aos 20, engraçado, tenho 20 anos e não me casei... Não penso muito em casamento, digo no sentindo de casar na igreja e no civil, mas quando eu encontrar o homem que amarei por toda a vida quererei unir a minha vida com a dela, morar juntos, construir uma familia... Acredito que quando duas pessoas se amam e querem ficar juntos basta que vivem juntos e serem felizes para sempre que nem nos contos de fadas...

Algo que eu sempre soube, posso conquistar todos os meus sonhos, mas com relação ao amor deixarei de desejar... Que nem naquele lema que muitos dizem: "Azar no jogo, sorte no amor".

Somente apaixonei-me uma vez, essa paixão durou 4 anos, era uma paixão idealista baseada num desejo, desejo de beija-lo, era um amor platonico, não apaixonei-me por ele na primeira vez que o vi, sonhei com ele e através desse sonho que surgiu a minha paixão... Sou alguém perfeccionista, com 14 anos já pensava nos ideias gregos, através da minha paixão que vi alguem nos padrões gregos, ele era alto, musculoso, cabelos cacheados com tom castanho claro quase loiro, achava ele belo... Eu era consciente que ele não gostava de mim, eu era um pouco gordinha e ele não gostava de gordas, era um dos tipos que só encontrava a beleza na aparencia e não na essencia... Sabia disso mas não o esquecia... Minha vida era centrada nele... Eu o adorava ao mesmo tempo que ele detestava-me... Não vou negar que sofri muito, quantas lagrimas derramei por ele, sentia-me feia e horrivel pois ele me via assim, emagreci por causa dele, quando emagreci ele reparou em mim mas mesmo assim desprezou-me... Por causa dele peguei um pouco de trauma com relação ao meu corpo, sou um pouco complexa com o meu peso, quando como muito depois fico com peso na consciencia e nos outros dias como bem menos a compensar, eu fujo da balança e há um ano em que não peso.... Enfim, apaixonei-me por alguem que nem se lembrava da minha existência, queria um beijo que nunca tive, beijei outros homens mas nunca o beijei...

Nesse ano cheguei a conclusão acerca dessa paixão, o objeto da minha paixão não era ele, eu não gostava dele pois nem o conhecia direito, tivemos poucas conversas e nunca toquei no corpo dele, nem um beijo no rosto, aperto de mão ou um abraço... Não era apaixonada por ele e sim por mim, apaixonei-me por ele por corresponder a um ideal grego que eu alimentava e encontrar uma maneira de gostar de mim...

Agora não preciso esconder atras de alguem para gostar de mim, gosto do jeito que sou, não somente gosto de mim mas adoro-me, amo-me, venero-me, falta só eu montar um altar em minha homenagem (exageros à parte)...

Hoje parece que estou bem inspirada a escrever, tomara que minha inspiração não acabe na hora de terminar o monologo...

Enfim, quero encerrar dizendo que sou alguém que ama loucamente a vida, quero viver muitos amores e paixões, passei por belos e felizes momentos com pessos que gosto, sou a eterna sonhadora e discipula de Platão, vivo que nem ele no mundo da imaginação governada pelas ideias perfeitas... Posso passar por uns momentos em que a tristeza e o desanimo apossam de mim, mas mesmo nesses momentos não desisto dos meus sonhos e ideais... Eu sou feliz mesmo sendo em alguns instantes ser um pouco triste, soa um tanto contraditório, mas eu sou assim, sou alguem muito complexo e dificil de entender, eu conheço-me e sei do que sou capaz, sou capaz de cometer inumeras loucuras, não se importar com o que os outros dizem ao meu respeito e muito menos se arrepender... A loucura é uma sina que persegue a minha vida... E dizem: "louco é aquele que é sábio"....

Até amanhã...

Boa noite

Atenciosamente
Janaina Ramos

Comentários

  1. ...???? Amor... Amor?? é Amor, mas o que significa isso??? vc sabe??? é o que está procurando????

    ResponderExcluir

Postar um comentário