O campo - Lucas Teodoro

O campo


E foi-se a noite, foi-se o domingo.
Eu não vi, não precisei ver.
Não estar foi o que de melhor poderia,
Foi botão de flor e não há do que reclamar.


Eu ouvi.
O campo conversa, o campo grita.
Mas só quem é capaz de sentir o houve claramente.
O rude, no mais, vai se incomodar com o canto do grilo ou com o cheiro da terra,
ele não se preparou para ir ao campo.


Se sou alma, eu quero paz.
A minha paz, comigo mesmo, que mesmo o campo é insuficiente em trazê-la.
Paz, não dos homens, não do campo e nem das estrelas.
É a augusta paz que só é em meu coração e que um
pensamento colegial é incapaz de alcançar.


Por isso eu cresci. Não pra me tornar adulto e ter rotina cartão de ponto,
Mas pra me libertar do colegial e ser capaz de olhar mais afundo, onde está a minha paz.
Eu a vi. Ao lado do meu amor.
Do meu eterno amor que veio da amizade, que veio da raposa.
Que há de ser eterno não somente enquanto durar, é muito pouco.
Será eterno por todo o tempo, assim como a minha paz.


_____________um certo Capitão.
Lucas Teodoro

Comentários